ClimaTempo: Marinha prevê o desenvolvimento de um ciclone subtropical no litoral do RS

Divulgado em 17/05/2022 - 20:00 por portoferreirahoje

A Marinha prevê o desenvolvimento de um ciclone subtropical a cerca de 900 km do litoral do Rio Grande do Sul, na posição 38°S 045°W. O sistema será batizado de Yakecan e será o décimo quinto sistema meteorológico relevante que se forma em águas oceânicas brasileiras e a receber um nome.

O que já vinha chamando a atenção dos meteorologistas brasileiros, e de outros centros internacionais de monitoramento meteorológico, é a trajetória anômala deste sistema, que tende a avançar do mar para o continente. O comum é que estes ciclones passem pela costa da Região Sul, às vezes do Sudeste, e avancem para o alto-mar. 

A Marinha prevê também que este sistema adquira característica tropical entre a noite do dia 17 e a madrugada de 18 de maio. Após se aproximar do litoral sul do Rio Grande do Sul, o  sistema deve se deslocar rente ao litoral gaúcho e ao litoral sul de Catarina, quando deve começar a se afastar do litoral catarinense indo em direção à costa da Região Sudeste, mas já afastado do continente e com ventos menos intensos.

Climatempo já vinha alertando o público sobre a possibilidade de formação deste sistema e seu potencial de perigo para a navegação em águas brasileiras e para a população da Região Sul. Independentemente da sua classificação técnica, este ciclone é uma área de baixa pressão atmosférica muito intensa, que não se observa normalmente. É um sistema com potencial para provocar ventania perigosa, com risco de destelhamento de coberturas frágeis, de queda de galhos grandes e outros transtornos. 

Ressaca intensa

O vento forte e persistente provocado pelo ciclone sobre o oceano deixa o mar muito agitado e gera grandes ondas que vão provocar ressaca no litoral da Região Sul e de parte do Sudeste. A situação é de perigo para  a navegação marítima.

Grandes  ondas

Para o dia 18 de maio de 2022, a Climatempo prevê ondas de 2,5 a 4,0 metros entre Rio Grande (RS) e Laguna (SC) e de 2,5m a 3,5 metros entre do litoral sul de São Paulo até a região dos Lagos (RJ)

Fonte: www.climatempo.com.br

 

 

 

 

 

Impacto no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina

Os estados que serão  impactados por este ciclone são o Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Já enfraquecido, este ciclone vai provocar ventos moderados a fortes no leste do Paraná, no sul e leste de São Paulo e no estado do Rio De Janeiro, mas o vento não será tão forte como esperado para partes do Rio Grande e de Santa Catarina

Os ventos realmente perigosos devem ser sentidos no litoral e em todo o sul e leste do Rio Grande do  Sul, incluindo a Grande Porto Alegre, no sul de Santa Catarina e na região de Florianópolis, além da região serrana gaúcha e catarinense. As rajadas de ventos mais intensas, podem alcançar velocidades com até 110 km/h. 

As regiões metropolitanas de Porto Alegre e de Florianópolis ficam em alerta para a ventania ciclônica até a noite da quarta-feira,18. Na madrugada e manhã do dia 19, quinta, o vento já terá enfraquecido em Porto Alegre, mas Florianópolis ainda poderá sentir fortes rajadas entre 60 e 70 km/h.



91109110